Convite para reorganizar o Fórum de Literatura, Livro, Leitura e Bibliotecas

CONVITE_FLLLEC1

Com o objetivo de reorganizar seus trabalhos para construção e desenvolvimento da Política do Livro, o Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará – FLLLEC se reunirá, segunda-feira, dia 12 de junho de 2017, às 14 horas, no auditório do 6° andar da Secult-Ce, na Rua Major Facundo, 500 – Centro – Fortaleza/CE . 

Fomos instados a reativar os trabalhos de mobilização da categoria em favor do desenvolvimento de Políticas Públicas para a linguagem Literatura. A provocação partiu de Luana Oliveira, mediadora responsável pelo Clubinho de Leitura.

Assim sendo, FLLLEC  e o Clubinho de Leitura convidam escritores, livreiros, editores, gráficos, capistas, tradutores, bibliotecários, mediadores de leitura, ilustradores, gestores municipais e estaduais, associações de classe, academias, sindicatos ligados às cadeias Mediadora, Produtiva e Criativa do Livro e demais interessados para reunião que terá como pauta:

  •  Informes Gerais do FLLLEC;
  • Informes sobre o Cenário da Política do Livro;
  • A reorganização do FLLLEC.

Solicitamos que os interessados confirmem sua presença preferencialmente até o dia 12/06/2017, às 10h, via email: 

No corpo da mensagem deve constar:

  • Nome:
  • RG:
  • Localidade de origem:

Observação:

Maiores detalhes acessem as etiquetas “Documentos do FLLLEC”, “Regimento do Fórum de Literatura”, “Estatuto”, “Sobre o FLLLEC”, localizadas no topo deste sítio:

www.forumdeliteraturace.wo​rdpress.com.br

Contamos com a participação de todos!

Da Comissão de Reorganização do FLLLEC

Luana Oliveira – 85.98160.2346

Kelsen Bravos – 85.99623.7577

Anúncios

Ceará busca espaço no mercado editorial nacional

Como fazer o livro produzido no Ceará circular em todo país? A questão envolve vários fatores, mas, antes de tudo é preciso ser visto para ser conhecido pelos distribuidores. Em busca de espaços de divulgação e negociação, editoras cearenses formam comitiva e vão à Bienal do Livro de São Paulo

Para fortalecer o mercado editorial cearense e mostrar a qualidade editorial dessa produção, a Câmara Cearense do Livro e o Fórum de Literatura e Leitura do Ceará resolveram unir 10 editoras cearenses e expor seus acervos na Bienal do Livro de São Paulo. A ideia não é apenas comercializar livros, mas trocar experiências com livreiros, editores, livreiros, entre outros profissionais da cadeia do livro, além dos leitores, e também participar de rodadas de negócios. Antes da Bienal, o grupo participa da 20 ª Convenção Nacional de Livrarias, que acontece de 9 a 11 de agosto.

Quem visitar o estande da Câmara Cearense do Livro, no N 45, vai encontrar um acervo diversificado de cerca de quatro mil títulos, entre livros de arte, infantil e juvenil, cordéis, entre outros.  Com temáticas que abrangem a literatura além dos regionalismos, as obras destacam-se também pelo padrão de qualidade elevado, diferenciais que as tornam uma opção a mais para os leitores.

No espaço, além de lançamentos de várias obras, haverá sorteios de livros e contações de histórias. Participam desta ação conjunta as editoras: Armazém da Cultura, Casa do Conto, Casa da Prosa, Conhecimento Editora, Editora IMEPH, Instituto Vida e Educação, Omni Editora, Premius, Smile Editorial, Terra da Luz, Editorial e Tupynanquim.

Entre os livros que destacam-se pela repercussão nacional e internacional, estão “Walter Benjamin: rumo a uma crítica revolucionária”, do filósofo inglês Terry Eagleton, que teve direitos autorais adquiridos para publicação no Brasil pela Omni Editora. O livro é um estudo e uma homenagem à teoria estética do filósofo alemão Walter Benjamin, um dos mais originais de chamada Escola de Frankfurt. Pela primeira vez uma editora do Ceará celebra um contrato deste tipo para publicação exclusiva, no Brasil, de um livro em língua inglesa.

Outra publicação é “Sobrevivi, posso contar”, da Editora Armazém da Cultura. É uma biografia sobre Maria da Penha, que fez da sua tragédia pessoal uma bandeira de luta pelos direitos da mulher e batalhou durante 20 anos para que fosse feita justiça.  Ela dá nome a lei de número 11.340/06 garante mecanismos de defesa mais abrangentes para mulheres vítimas de violência doméstica.

A Terra da Luz Editorial, conhecida por seus livros de fotografias e por publicar o trabalho de Chico Albuquerque – que registrou a passagem de Orson Welles pelo Ceará – lançará na Bienal do Livro de São Paulo, “Manual do Viajante Solitário” de José Albano, que traz registros dos aspectos das viagens de motocicleta, incluindo roteiros, hospedagem, alimentação, bagagem, conforto e os riscos inerentes a esse tipo de viagem, assim como aspectos emocionais e filosóficos vivenciados pelo viajante solitário sobre duas rodas.

Ceará leva grupo de editoras para a Bienal de São Paulo

Através de uma articulação da CCL e FLLEC, dez editoras cearenses estão reunidas para representar o Estado na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo. Oportunidade de bons negócios e de difusão da qualidade editorial cearense

Neste ano, a Câmara Cearense do Livro em parceria com o Fórum de Literatura e Leitura do Ceará – FLLEC desenvolve uma iniciativa pioneira no Estado: a inserção de dez editoras cearenses na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, cuja 21ª edição acontece entre os dias 12 e 22 de agosto, no Anhembi.

As editoras Armazém da Cultura, Brasil Tropical, Casa da Prosa, Conhecimento, Imeph, Terra da Luz, Omni  e Smile são as empresas até então confirmadas na comitiva cearense, que levará em torno de quatro mil títulos entre livros de arte, infantil e juvenil, periódicos e cordel. A Livraria Feira do Livro será a Livraria âncora que dará suporte à comercialização dos livros na Bienal. Durante o evento, o estande da Câmara Cearense do Livro prevê ainda lançamentos de várias obras, além de sorteios e contações de histórias.

O Ceará já é reconhecidamente modelo para o Nordeste em termos de articulação política das cadeias criativa e produtiva do livro. Neste evento, o Estado se revela não apenas como exemplo de mercado consolidado, mas também de qualidade e rigor técnico.  “Quem visitar nosso estande terá a oportunidade de conhecer um Ceará de excelentes produções”, convida Sandra Lima Röhl, atual presidente da Câmara Cearense do Livro e Mileide Flores, atual secretária executiva do Fórum.

Sobre a CCL

A Câmara Cearense do Livro – CCL, com sete anos de atuação, foi fundada com o intuito de satisfazer, sobretudo, duas demandas crescentes no Ceará: articular o setor editorial e compreender o livro como produto não apenas cultural, mas econômico. Visando esses pilares, o editor Peter Röhl (reconhecido por sua larga atuação na indústria gráfica paulista) se reúne com importantes nomes do mercado cearense e funda a CCL em 2003. Desde então, a Câmara tem sido uma das grandes entusiastas da democratização do acesso ao livro e à leitura no Estado, participando inclusive das comissões organizadoras das bienais do livro no Ceará.

Sobre o FLLEC

A Cadeia do Livro e da Leitura é ramificada e complexa e representa um vasto segmento que vai desde o leitor até a gráfica. Por   estas características é que escritores, livreiros, editores, gráficos, bibliotecários, ilustradores, leitores e professores preocupados com a falta de comunicação entre os diversos agentes desta Cadeia criaram um espaço de discussão para que os olhares múltiplos na busca de soluções se perceba único. Dentro deste contexto o Fórum de Literatura e Leitura do Ceará é criado em janeiro de 2009.

Onde estamos

21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, Anhembi, Rua N, Estande 45

Assessoria de Imprensa da Comitiva Cearense na Bienal

Mayara Carol Araújo, jornalista

(85) 8738 – 8656 – carol.mcba@gmail.com

Luiza Helena Amorim, jornalista

(85) 8804.0503 – luiza.helena.amorim@gmail.com