Feeds:
Posts
Comentários

Posts Tagged ‘Bienal do Livro de São Paulo’

Mileide Flores do Fórum de Literatura e Leitura do Estado do Ceará e Vitor Tavares, atual presidente da Associação Nacional de Livrarias

Com uma pauta que aborda desde as questões de capital humano, economia, políticas públicas e livro digital, Associação Nacional de Livrarias promove a sua 20 ª convenção

 Estrategicamente realizada antes da Bienal do Livro de São Paulo, a Associação Nacional de Livrarias promove a 20 ª Convenção de Livrarias que tem entre os participantes, a presença de distribuidores, o que facilita a rodada de negócios. Na fala de abertura, o presidente da associação, Vitor Tavares falou da importância do evento, que este ano realizou uma prévia das discussões, de um tema solicitado pelos próprios livreiros: a situação das livrarias independentes.

Um perfil das mesas foi o de trazer casos práticos, como a que discutiu “Editor, distribuidor, livreiro, educador e autor – juntos em um mesmo ideal”, que mostrou como a harmonia entre esses agentes pode fazer a diferença tanto econômica, quanto cultural na formação de leitores.

Na temática “ Casos e experiências de sucesso nas livrarias, Paulo Escariz, diretor da Livraria Escariz de Aracaju, mostrou como começou em 1985 com uma banca de revistas na garagem de casa e hoje com experiência em gestão de negócios, comseguiu ampliar sua atuação e é proprietário de 2 livrarias em shoppings, 2 em universidades e uma revistaria. Ele não aconselha ninguém a pôr uma livraria fora de shopping, pois é lá onde está o grande filão, nem mesmo as livrarias montadas em universidade conseguem ter boas vendas, elas funcionam como showrom, na opinião de Escariz. A próxima novidade do negócio é implantar o e-comerce, no entanto, esta venda de livros será realizada apenas dentro de Aracaju.

Outra experiência em destaque foi a de José Cortez, que iniciou a editora que leva seu nome em 19980 e hoje é referência na área do livro, sendo também um dos fundadores da ANL. Para ele, o sucesso da editora está nas ações de fomento a leitura realizadas dentro da livraria dele, que considera multicultural, já que lá são realizadas atividades que envolvem cinema, contação de histórias, ciclo de leituras entre outras. É também, segundo ele, a única livraria do sul e sudeste que promove a literatura de cordel. Já foram realizadas até oficinas de xilogravura. O segredo está no trato humano: “Não tenho clientes, prefiro ter leitores” e acrescenta ainda “Para mim vender livros não é a mesma coisa de vender cachaça ou outro produto qualquer. A não ser o produto que alimenta o nosso corpo e nos faz viver. O livro alimenta nossa alma e nos faz crescer”.

Read Full Post »

Read Full Post »

Como fazer o livro produzido no Ceará circular em todo país? A questão envolve vários fatores, mas, antes de tudo é preciso ser visto para ser conhecido pelos distribuidores. Em busca de espaços de divulgação e negociação, editoras cearenses formam comitiva e vão à Bienal do Livro de São Paulo

Para fortalecer o mercado editorial cearense e mostrar a qualidade editorial dessa produção, a Câmara Cearense do Livro e o Fórum de Literatura e Leitura do Ceará resolveram unir 10 editoras cearenses e expor seus acervos na Bienal do Livro de São Paulo. A ideia não é apenas comercializar livros, mas trocar experiências com livreiros, editores, livreiros, entre outros profissionais da cadeia do livro, além dos leitores, e também participar de rodadas de negócios. Antes da Bienal, o grupo participa da 20 ª Convenção Nacional de Livrarias, que acontece de 9 a 11 de agosto.

Quem visitar o estande da Câmara Cearense do Livro, no N 45, vai encontrar um acervo diversificado de cerca de quatro mil títulos, entre livros de arte, infantil e juvenil, cordéis, entre outros.  Com temáticas que abrangem a literatura além dos regionalismos, as obras destacam-se também pelo padrão de qualidade elevado, diferenciais que as tornam uma opção a mais para os leitores.

No espaço, além de lançamentos de várias obras, haverá sorteios de livros e contações de histórias. Participam desta ação conjunta as editoras: Armazém da Cultura, Casa do Conto, Casa da Prosa, Conhecimento Editora, Editora IMEPH, Instituto Vida e Educação, Omni Editora, Premius, Smile Editorial, Terra da Luz, Editorial e Tupynanquim.

Entre os livros que destacam-se pela repercussão nacional e internacional, estão “Walter Benjamin: rumo a uma crítica revolucionária”, do filósofo inglês Terry Eagleton, que teve direitos autorais adquiridos para publicação no Brasil pela Omni Editora. O livro é um estudo e uma homenagem à teoria estética do filósofo alemão Walter Benjamin, um dos mais originais de chamada Escola de Frankfurt. Pela primeira vez uma editora do Ceará celebra um contrato deste tipo para publicação exclusiva, no Brasil, de um livro em língua inglesa.

Outra publicação é “Sobrevivi, posso contar”, da Editora Armazém da Cultura. É uma biografia sobre Maria da Penha, que fez da sua tragédia pessoal uma bandeira de luta pelos direitos da mulher e batalhou durante 20 anos para que fosse feita justiça.  Ela dá nome a lei de número 11.340/06 garante mecanismos de defesa mais abrangentes para mulheres vítimas de violência doméstica.

A Terra da Luz Editorial, conhecida por seus livros de fotografias e por publicar o trabalho de Chico Albuquerque – que registrou a passagem de Orson Welles pelo Ceará – lançará na Bienal do Livro de São Paulo, “Manual do Viajante Solitário” de José Albano, que traz registros dos aspectos das viagens de motocicleta, incluindo roteiros, hospedagem, alimentação, bagagem, conforto e os riscos inerentes a esse tipo de viagem, assim como aspectos emocionais e filosóficos vivenciados pelo viajante solitário sobre duas rodas.

Read Full Post »