Convite para reorganizar o Fórum de Literatura, Livro, Leitura e Bibliotecas

CONVITE_FLLLEC1

Com o objetivo de reorganizar seus trabalhos para construção e desenvolvimento da Política do Livro, o Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará – FLLLEC se reunirá, segunda-feira, dia 12 de junho de 2017, às 14 horas, no auditório do 6° andar da Secult-Ce, na Rua Major Facundo, 500 – Centro – Fortaleza/CE . 

Fomos instados a reativar os trabalhos de mobilização da categoria em favor do desenvolvimento de Políticas Públicas para a linguagem Literatura. A provocação partiu de Luana Oliveira, mediadora responsável pelo Clubinho de Leitura.

Assim sendo, FLLLEC  e o Clubinho de Leitura convidam escritores, livreiros, editores, gráficos, capistas, tradutores, bibliotecários, mediadores de leitura, ilustradores, gestores municipais e estaduais, associações de classe, academias, sindicatos ligados às cadeias Mediadora, Produtiva e Criativa do Livro e demais interessados para reunião que terá como pauta:

  •  Informes Gerais do FLLLEC;
  • Informes sobre o Cenário da Política do Livro;
  • A reorganização do FLLLEC.

Solicitamos que os interessados confirmem sua presença preferencialmente até o dia 12/06/2017, às 10h, via email: 

No corpo da mensagem deve constar:

  • Nome:
  • RG:
  • Localidade de origem:

Observação:

Maiores detalhes acessem as etiquetas “Documentos do FLLLEC”, “Regimento do Fórum de Literatura”, “Estatuto”, “Sobre o FLLLEC”, localizadas no topo deste sítio:

www.forumdeliteraturace.wo​rdpress.com.br

Contamos com a participação de todos!

Da Comissão de Reorganização do FLLLEC

Luana Oliveira – 85.98160.2346

Kelsen Bravos – 85.99623.7577

Programação da Rede Nordeste do Livro, Leitura e Literatura na XI Bienal Internacional do Livro do Ceará

bienal

DIA 11 (10h00 às 12:00)

FÓRUM RNELLL/FLLLEC – Panorama da indústria do livro na era Digital – Ednei  Procópio e Carlo Carrenho – Mediação: Flávio Martins

DIA 11 (14h00 às 15h50)

FÓRUM RNELLL/FLLLEC – Organizações sociais e a mediação da leitura (depoimentos de 3 ONGs que trabalham a mediação da Leitura)

DIA 11 (16h00 às 17h50)

FÓRUM RNELLL/FLLLEC – Organizações sociais e a mediação da leitura (depoimentos de 3 ONGs que trabalham a mediação da Leitura)

DIA 12 (10h00 às 12h00)

FÓRUM RNELLL/FLLLEC  – O papel das pequenas e médias editoras e livrarias na inovação do mercado editorial brasileiro: Karla Melo (Ed. Confraria do Vento, Afonso Martins (ANL), Flávio Martins (Ed. Conhecimento) –  Mediação: Mileide Flores

DIA 12 (14h00 às 15h50)

FÓRUM RNELLL/FLLLEC – O direito que ampara a literatura – da política do livro ao direito autoral: Carolina Campos e Kelsen Bravos

DIA 12 (16h00 às 17h50)

FÓRUM RNELLL/FLLLEC – O Escritor em Pauta – Cleudene Aragão, Vânia Vasconcelos e Carlos Vazconcelos

18h00

Encerramento com a retirada de um documento a ser entregue ao próximo Secretário de Cultura.

Fundo de R$ 200 milhões será gerido por ONGs

A presidente Dilma Rousseff pretende lançar até junho, de forma paralela, o marco regulatório para o terceiro setor e a criação do fundo de financiamento de Organizações Não Governamentais (ONGs) com recursos de estatais. As novas regras de financiamento e de prestação de contas de entidades da sociedade civil devem passar a vigorar até o fim deste semestre.

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho (PT), apresentou detalhes do fundo de financiamento das ONGs e disse que o governo federal quer criar uma “fonte autônoma” para as entidades da sociedade civil com recursos de empresas estatais e privadas. “A ideia é ter um fundo que permita que as entidades brasileiras – que antes dependiam muito da ajuda internacional e agora não recebem mais esses recursos – tenham condições de sobreviver e realizar seus projetos”, explicou o ministro. “Dará autonomia de gestão para as organizações”, comentou Carvalho.

O fundo deve começar com um caixa de, pelo menos, R$ 200 milhões. Segundo o ministro, o BNDES destinará R$ 100 milhões, a Petrobras está disposta a colocar R$ 50 milhões e os outros R$ 50 milhões devem sair da Fundação Banco do Brasil. “Pode vir a ser o embrião de uma nova fonte de financiamento para as organizações”, afirmou o ministro ontem, ao participar do 7º Congresso do Grupo de Institutos, Fundações e Empresas (Gife), em São Paulo. Esse fundo deve ser gerido pelas próprias entidades da sociedade civil e a governança deve ter um conselho consultivo, composto pelo terceiro setor e pelos financiadores. Continue lendo “Fundo de R$ 200 milhões será gerido por ONGs”