Memória da reunião do FLLLEC em 12/06/2017

MEMÓRIA DE REUNIÃO
Data 12/06/2017 Horário de Início 14:30 Horário de Término 16:50
Local Secult-Ce, na Rua Major Facundo, 500 – Centro – Fortaleza/CE – Auditório no 6° andar
Pautas
  1. Informes Gerais do FLLLEC;
  2. Informes sobre o Cenário da Política do Livro;
  3. A reorganização do FLLLEC.

Deivid Gomes, professor, produtor cultural e um dos articuladores para reorganizar o Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará (FLLLEC) deu início a reunião que convoca escritores, livreiros, editores, gráficos, tradutores, bibliotecários, mediadores de leitura, ilustradores, gestores municipais e estaduais, associações de classe, academias e sindicatos ligados às cadeias de mediação, produção e criação do livro para reativar os trabalhos de mobilização da categoria em favor do desenvolvimento de políticas públicas para a linguagem Literatura. Deivid expõe como se deu a provocação para a retomada do FLLLEC, onde a partir de uma reunião entre a Luana Oliveira, mediadora responsável pelo Clubinho de Leitura (projeto social criado em 2009, no bairro Bom Jardim) e a Mileide Flores, ex-coordenadora geral do comitê gestor do FLLLEC, eleita em Assembleia Geral no dia 29 de julho de 2011 e que atualmente trabalha na Secretaria da Cultura do Estado do Ceará – Secult, surgiu o diálogo de como vem se dando o cenário atual da literatura no Ceará e da necessidade do Fórum voltar a sua ativa, para lutar pelo espaço da literatura dentro dos meios culturais, políticos e educacionais no estado. Mileide Flores continua, em seguida, para explicar melhor como se deu o início do FLLLEC e como funcionava o fórum. Fala da importância da representatividade da literatura nos editais de cultura, que atualmente vem perdendo espaço e da necessidade de cobrança por parte da sociedade civil aos gestores, onde ao seu ver será possível a partir da reorganização do FLLLEC. Ressalta, ainda, que o momento exige esta reorganização por está em debate a construção do plano estadual do livro, leitura, literatura e bibliotecas. Mileide ressalta sobre a importância da presença de todos que compõem os elos da cadeia do livro, já que o Fórum trabalha na transversalidade da cadeia pois as representações individuais já existem, mas que a leitura se dá no momento que o livro é pensado, produzido, transmitido e lido, a saber: cadeia criativa (escritores e escritoras, ilustradores e ilustradoras, tradutores e tradutoras etc.), produtiva (editoras, livrarias, distribuidoras e gráficas) e mediadores e mediadoras (professores e professoras, bibliotecários e bibliotecárias, contadores e contadoras de histórias etc.).

 Por fim, agradece ao Deivid Gomes e a Luana Oliveira pela procura dos mesmos em reestabelecer o fórum. Deivid Gomes abre espaço para que os presentes se coloquem com suas dúvidas, sugestões e etc. O escritor Carlos Emílio afirma que há uns dez anos se fala do fórum, mas que não vê uma movimentação da literatura, exceto pela Bienal do Livro. Deivid Gomes e Luana Oliveira destacam a relevância da reintegração do FLLLEC para reivindicar as demandas de cada setor da sociedade literária. A professora, escritora e presidente da Academia Feminina de Letras, Clara Leda,

afirma da necessidade de se organizar, pois há uma desarmonia entre as necessidades de editores e escritores, entre o ensino e a presença da literatura cearense. Juliana Guedes expressa o valor da representatividade da literatura cearense e, por exemplo, da escritora negra e cearense nos clubes de leitores. Raimundo Moreira, contador de histórias, propõe nesse primeiro momento, a criação de grupos menores para debater as demandas de cada setor da sociedade civil literária pelas inúmeras questões existentes. O cordelista Lucarocas toma a palavra para mencionar que o cordel por pouco não se acabou em nossa cultura e história, no entanto os cordelistas se uniram para criar uma associação e, hoje, estão muito bem representados no sudeste do país e, também, com grande representatividade nas bienais internacionais do livro do Ceará. Marcos Rodrigues, auxiliar no setor braile da Biblioteca Pública questiona o que o fórum pode propor para trazer um maior espaço, conteúdo e material bibliográfico (audiolivro, livros em braile, livros digitais e etc.) para o público que tem limitações físicas. Kelsen Bravos, escritor e ex-secretário de comunicação do comitê gestor do FLLLEC, eleito em Assembleia Geral no dia 29 de julho de 2011, informa e comunica que pessoas de Quixadá, Crateús, Aracati, Cariri entre outras localidades do interior do Ceará, sobre a necessidade do fórum se fazer presente nesses locais. Também aborda o tamanho da expressividade e representatividade que se fez presente na última Bienal Internacional do Livro no Ceará, não só no sentido material bibliográfico, mas também de pessoas que caracterizam a cultura cearense, os movimentos sociais e as várias propostas que saíram desse evento para o Plano Estadual, propostas essas a serem discutidas posteriormente pelo comitê gestor do FLLLEC. Sugere, por fim, que seja criado Grupos de Trabalho (GTs) para se reorganizar o FLLLEC, sendo o total de quatro GTs, são eles: GT Autores: engloba escritores, cordelistas, poetas, ilustradores, tradutores etc.; GT Produtores engloba: editores, livreiros, gráficos etc.; GT Mediadores: engloba bibliotecários, agentes de leitura, contadores de histórias, professores de literatura, artistas do meio literário, etc. GT Gestores e Representantes: engloba gestores municipais e estaduais, associações de classe, academias, sindicatos, etc. O escritor Carlos Emílio traz à tona a importância de reitores e diretores de universidades e faculdades, respectivamente, se fazerem presentes no fórum, por questão de representatividade e de incentivo ao meio literário. É importante observar que não houve consenso quanto à organização dos Gts, todavia, o grupo optou por encarar, inicialmente, a criação da Comissão Reorganizadora do FLLLEC, atualização do Regimento e a cobrança do Edital das Artes junto à Secult. Telma Pacheco, artesã indígena da etnia Tremembé cearense, expressou um pouco da questão indígena e falou da importância de participar desse momento. Telma Pacheco é amante da literatura por conta da sua cultura e hábitos advindos dos avós, a contação de histórias. Telma revela que, dentro de sua aldeia, existe uma grande representatividade de raça, cor e gênero, onde sempre busca-se o resgate da cultura. Alexandre Greco ressaltou a importância das diversas ações literárias que já acontecem nas periferias da cidade. Também falou da importância da criação de uma Carta de Princípios sobre a organização e funcionamento do FLLLEC. O poeta Carlos Melo, que organiza saraus em vários pontos da cidade, revela que não consegue atingir a periferia por falta de setores mediadores da literatura nos bairros periféricos da capital. Paulo Marcelo, filósofo e tradutor, vem colocar questões relevantes sobre

leitores, que acabam influenciando no incentivo à leitura como, por exemplo, o preço e a acessibilidade dos materiais bibliográficos e indaga como o fórum poderia estar atuando de modo a favorecer o leitor nesse sentido. Para que se volte ao rumo e necessidades da reunião, Luana Oliveira pede que venhamos a discutir os GTs por conta do decorrer do horário. A professora Silvana Rabelo, que veio do interior para lecionar recentemente na capital, expressa seu assombro diante da precariedade das escolas da capital, fato que é até comum no interior e, com isso ressaltar a conveniência do professor no fórum. Deivid Gomes segue então e sugere alguns GTs para a assembleia e pergunta se todos se sentem abrangidos. Mileide Flores pega a palavra para opinar de que a criação de muitos GTs provavelmente não funcione neste primeiro momento e, que a necessidade imediata é a aprovação do regimento pela assembleia, pois o mesmo foi elaborado no ano de 2008 e não inclui questões tais como: acessibilidade do leitor, audio book, livros brasileiros em braile etc. Assim como também, a formação imediata de uma comissão para o fórum a fim de discutir o próximo Edital das Artes que já será lançado em julho e precisa averiguar se a literatura e todos os seus setores estão atendidos no mesmo. Deivid Gomes encaminha então, para finalizar, que será marcado uma próxima reunião a fim de discutir o Edital das Artes e aprovar o regimento, onde todos devem vir para a mesma cientes da leitura do regimento e anotado suas deficiências e necessidades de alterações. Por fim, todos foram informados de que a ata desta assembleia seria encaminhada posteriormente aos e-mails dos participantes. No final, todos os interessados em fazer parte da comissão do fórum deixaram seu nome e alguns outros dados, os quais estão na Lista de Presença assinada no dia desta reunião.

Anúncios

I Feira do Livro de Crateús – FLIC

Com uma programação de acesso gratuito plena em contação de histórias, lançamentos de livros, oficinas, palestras e muito mais, a I Feira do Livro de Crateús – FLIC, que homenageia o poeta Bento Raimundo Dias, demarca o calendário cultural brasileiro da promoção do livro, da leitura, Literatura e das artes em geral. A FLIC congrega artistas do Distrito Federal, Fortaleza, Tauá e Crateús numa enriquecedora troca de saberes e fazeres entre artistas, estudantes e o público em geral. Confira:

Convite Flic.cdr

I Feira de Livros de Crateús – FLIC

Homenageado: Bento Raimundo

Dias 18 a 21 de novembro de 2015

Local: Praça Gentil Cardoso

09:00 às 22:00h

Programação

Dia 18/11/2015 – Organização Geral da I FLIC

Dia 19/11/2015

19:00 às 22:00

Palco

Voz e Violão – Ernesto Teixeira

Cerimônia de Abertura da I FLIC

Show com Dideus Sales e Toni Moraes

Dia 20/11/2015

09:00 às 12:00

Palco

Dança: Uz Inovadores/Black Citi (09:30 às 10:00)

Recital: Paulo de Tarso (10:00 às 10:30)

Circo: Palhaço Geleia (10:30 às 12:00)

Teatro

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (09:00 às 09:40)

Histórias do Coração com Teddy Williams (10:00 às 10:30)

11:00 às 12:00

Teatro

Leitura dramatizada do Romance do Vaqueiro Voador– João Bosco Bezerra Bonfim

14:00 às 16:00

Palco

Dança: New Dance/Príncipes do Gueto (14:30 às 15:00)

Recital: Paulo de Tarso (15:00 às 15:30)

Circo: Palhaço Geleia (15:30 às 17:00)

Teatro

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (14:00 às 14:40)

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (15:00 às 15:40)

16:00 às 17:00

Teatro

Poesia em voz alta: arte, reflexão e emoção – João Bosco Bezerra Bonfim

19:00 às 20:00

Teatro

Grupo de Flauta CAIC

Debate: Mediação de leitura e letramento literário – João Bosco Bezerra Bonfim e Tino Freitas

19:00 às 22:00

Palco

Roda de Capoeira Raízes do Brasil (19:00 às 19:40)

Palhaço Geleia (19:40 às 20:00)

The Madrugas / Take me Out (20:00 às 22:00)

Dia 21/11/2015

09:00 às 12:00

Palco

Contação de Histórias: Márcio Elias (09:00 às 09:40)

Circo: Impacto Show Cirque (09:40 às 10:20)

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (10:20 às 11:00)

Lançamento de Livro: João Bosco e Tino Freitas (11:00 às 12:00)

Teatro

Conversa com escritor: Elias de França e Éricson Fabrício (09:00 às 10:00)

Encontro do projeto Ciranda das Coisas do Coração (10:00 às 12:00)

Contadores de Histórias de Hidrolândia-CE

14:00 às 17:00

Teatro

Encontro com Escritores

Recital: Paulo de Tarso e Lucas Evangelista

Lançamento de Livros: Zacarias Bezerra

Palestra: A importância da literatura no contexto atual – Júnior Bonfim

Palco

Contação de Histórias: Márcio Elias (14:00 às 14:40)

Circo: Retalho Show Circus traz a Cia. Circense Harlley Dance (14:40 às 16:00)

Palco: Associação Arte Ceará Capoeira (16:00 às 17:00)

19:00 às 22:00

Cerimônia de Encerramento da I FLIC

Homenagem ao Bento Raimundo

Show com Igor e Edvânio

19, 20 e 21 de novembro

Stands com vendas, troca e exposição de livros!

Participação de editoras e livrarias!

Participe!

Traga sua família!

Entrada gratuita!

flic – programação

 

Ceará é o primeiro estado a receber a Caravana das Artes da Funarte

CARAVANACULT

Em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), a Fundação Nacional das Artes (Funarte) realiza na próxima terça-feira, dia 21, em Fortaleza, o primeiro encontro da Caravana das Artes no País. A ação envolve uma série de debates que o Ministério da Cultura (MinC) e a Funarte farão nas 27 unidades da Federação, com o objetivo de coletar contribuições da sociedade civil para a construção da Política Nacional das Artes (PNA). Na Capital, serão realizados ao longo dia encontros específicos para levantar e debater propostas de políticas públicas para as artes visuais, dança, circo, literatura, música e teatro.

A abertura do evento será às 10h, no Teatro Dragão do Mar. A solenidade de abertura contará com a presença do presidente da Funarte, Francisco Bosco, do diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Leonardo Lessa, de representantes das secretarias estadual e municipal de Cultura e de outras autoridades locais. O artista plástico Yuri Firmeza foi convidado para fazer uma palestra sobre os desafios da política para as artes contemporâneas.

Francisco Bosco explicará como está sendo desenvolvido o processo participativo da elaboração da PNA, que parte dos estudos e discussões realizados nos últimos 10 anos pelos Colegiados Setoriais, formados por técnicos do Ministério da Cultura (MinC) e representantes da sociedade civil. A PNA deverá se constituir em um conjunto de políticas atualizadas, fundamentadas e duradouras para as artes no País.

No período da tarde, das 14 às 18h, serão realizadas seis reuniões separadas com artistas e produtores culturais, para debater propostas para as seis linguagens artísticas. As discussões serão conduzidas por um grupo de articuladores escolhidos pelo MinC pela competência e atuação profissional na articulação e no debate político no campo de suas respectivas linguagens. São eles:  Cacá Machado (música), Jacqueline Medeiros (artes visuais), Júnior Perim (Circo), Marcelo Bones (Teatro), Rui Moreira (Dança) e Sérgio Cohn (Literatura).

“Cada articulador do PNA será responsável por coordenar os encontros, as rodas de conversa que vão discutir, a partir dos planos setoriais de cada área, as propostas e necessidades das artes contemporâneas”, informou a articuladora Jacqueline Medeiros, que atua e conhece o cenário cultural cearense.

Nas próximas edições da Caravana das Artes, além dois seis articuladores escolhidos pelo MinC, também estarão presentes seis consultores, que estão sendo selecionados por meio de edital da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Em função do grande número de inscritos, a seleção dos consultores ainda está em processo.

Além das caravanas, a participação da sociedade civil se dará ainda nas contribuições via internet na plataforma www.culturadigital.br/pna, nos encontros setoriais e nos seminários temáticos que farão parte da construção da Política Nacional das Artes.

Seminário “Participação Social 
na Gestão Cultural” com Vinicius Wu

Além da Caravana das Artes da Funarte, também no dia 21 acontecerá o “Seminário Participação Social na Gestão Cultural”, da SAI/MinC, das 18h às 21h, com a presença de Vinicius Wu, Secretário de Articulação Institucional do Ministério da Cultura. Será apresentado a proposta e o calendário do processo Eleitoral do CNPC, para renovação dos Colegiados Setoriais e representantes da Sociedade Civil das áreas técnico-artísticas e do Patrimônio Cultural no Conselho Nacional de Política Cultural – CNPC, para o período de 2015 a 2017, por meio dos Fóruns Nacionais Setoriais, que serão realizados de maneira descentralizada e presencial. O Seminário ocorre no Teatro Carlos Câmara, logo após o fim das atividades da Caravana da Funarte.

SERVIÇO:

Caravana das Artes no Ceará 

Abertura:10h

Local: Teatro do Centro Dragão do Mar

Reuniões para debater propostas para as linguagens artísticas – 14h às 18h 

Literatura (http://www.cultura.gov.br/pnll)
Local: Espaço Estação, na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel (Rua 24 de Maio, 60, Centro)
Mais informações com Mileide Flores (
Coordenadora de Políticas de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas/SECULT-CE – email: mileide.secult@gmail.com – Fone 1: 55.85 3101 6794 – Fone 2: 55.85 97673277 -Facebook: facebook.com.br/mileideflores – skype: mileide.flores1)

Artes Visuais

Local: Cento Cultural Banco do Nordeste (Rua Conde D’eu, 560, Centro)

Circo

Local: Casa Juvenal Galeno (na Rua Gen. Sampaio, 1128)

Dança

Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221, Centro)

Música

Local:  Museu da Indústria (Rua Dr. João Moreira, 143 – Centro)

Teatro

Local: Teatro Carlos Câmara (Rua Senador Pompeu, 454 – Centro)

Seminário Participação Social na Gestão Cultural

Das 18 às 21 horas

Local: Teatro Carlos Câmara (Rua Senador Pompeu, 454 – Centro)

Fonte: MinC

Bienal do Livro do Ceará – Espaço Coletivo da Rede Nordeste do Livro, Leitura e Literatura

bienal
XI Bienal Internacional do Livro do Ceará
de 06 a 14 de dezembro de 2014
Rede Nordeste do Livro, Leitura e Literatura
Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará
Local: Centro de Eventos do Ceará
Av. Washington Soares, 999, Fortaleza, Ceará

CONVITE

A Rede Nordeste do Livro Leitura e Literatura e o Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará, em parceria com a XI Bienal Internacional do Livro do Ceará concede espaço para pequenas editoras e autores independentes do Nordeste exporem seus livros no Espaço Coletivo da Rede Nordeste do Livro, Leitura e Literatura / Instituto Delta Zero. Para tanto é necessário o preenchimento do formulário em anexo.

O Espaço ocupará uma área de 30m² e será dividido de acordo com o número de inscritos.

Preencha a Ficha de Inscrição anexa e confirme ter lido e concordado com os termos do Regulamento de uso do Espaço.

A XI Bienal Internacional do Livro do Ceará acontecerá entre os dias 06 e 14 de dezembro de 2014, para maiores informações sobre a bienal acessem o site http://www.bienaldolivro.ce.gov.br.

Divulguem.

Comissão Organizadora
Mileide Flores – Rede Nordeste do Livro, Leitura e Literatura
Kelsen Bravos – Fórum de Literatura, Livro e Leitura do Ceará

ANEXO:
Ficha de inscrição: ficha-de-inscricao-no-estande-do-flec

Regulamento Geral da Bienal

Regulamento Específico para o Espaço do Nordeste – RNELLL

PNLL é prioridade na III Conferência Nacional de Cultura

Parte da equipe do CSLLL e DLLLB

A III Conferência Nacional de Cultura (IIICNC), ocorrida em Brasília, de 27/11 e 01/12/2013, contou com uma participação recorde: 1.745 pessoas, sendo 953 delas delegados dos 26 estados e do Distrito Federal. Uma conquista da democracia brasileira. 

Política Pública de Estado
Objetivo da III CNC era eleger 64 diretrizes para atingir a meta de consolidar a institucionalização da Cultura como política pública de Estado e, entre essas diretrizes, definir as 20 prioridades nacionais.

Articulação do CSLLLArticulaçãoEm sintonia com a meta da III CNC, o Colegiado Setorial da Literatura, Livro e Leitura (CSLLL), bem como os representantes da secretaria executiva do Plano Nacional do Livro e da Leitura (PNLL) e da Diretoria do Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas (DLLLB), trabalhamos intensamente na articulação para aprovar a institucionalização do PNLL como política pública de Estado.
Para tanto, formulamos a  diretriz 3.10 que traz a seguinte redação:

“Aprovar, sancionar e regulamentar o Plano Nacional do Livro e Leitura, garantindo a leitura como direito social através do fortalecimento do Sistema de Bibliotecas Públicas municipais, estaduais, distritais e comunitárias, assegurando o acesso ao livro, à leitura e à literatura”.

Graças a competente articulação dos delegados do CSLLL e da DLLLB, a diretriz 3.10 ficou entre as 20 prioridades da III CNC. Além da diretriz 3.10, foi importante também a plenária aprovar:

  • o pedido de aprovação da Proposta de Emenda Constitucional (PEC) 150, por unanimidade;
  • a proposta que pede o fortalecimento das cadeias dos setores criativos, com intercâmbios;
  • a proposição para a inclusão nos planos orçamentários da União, estados, DF e municípios de programas para desapropriação de imóveis ociosos para que sejam aproveitados como equipamentos culturais;
  • a utilização dos dados do SNIIC para criar indicadores culturais capazes de contribuir com a variável de educação no IDH.
  • Aprovar a Cultura como Direito Social na Constituição Federal (PEC 49/2007 e PEC 236/2008).

Para conferir as 20 diretrizes prioritárias e o conjunto das 64 propostas aprovadas clique em propostas aprovadas na IIICNC.

Um destaque especialíssimo

Mileide Flores compõe a mesa de encerramento da III CNC
Mileide Flores compõe a mesa de encerramento da III CNC

Mileide Flores, representante do CSLLL no Conselho Nacional de Política Cultural, compôs a mesa de encerramento da III CNC e em sua fala destacou a importância da representatividade dos conselheiros e cobrou de todos mais articulação com os Colegiados Setoriais e com o CNPC eleitos democraticamente pelos protagonistas da cultura de todo o país, a fim de fortalecer a participação da sociedade civil e consolidar a democratização da Cultura no Brasil.

Caderno do PNLL

Atenção Povo da Literatura, Livro e Leitura,

Clique no  link Caderno do PNLL para ler e depois sugerir alterações no Plano Nacional do Livro e da Leitura, o Colegiado Setorial da Literatura, Livro e Leitura (CSLLL) do Ministério da Cultura, sob a coordenação da Diretoria da Literatura, Livro, Leitura e Bibliotecas (DLLLB) está fazendo a revisão do referido plano. Colabore. Juntos somos mais fortes!

Kelsen Bravos

Conselheiro do CSLLL/Cadeia Criativa