Feeds:
Posts
Comentários

Archive for the ‘Autores’ Category

 Pelo segundo ano consecutivo, a Secretaria Municipal de Educação promove o Dia D da Leitura. Um dia pleno de contação de histórias, personagens da literatura e brincadeiras com letras e palavras para a alegria dos pequenos leitores. A presença de escritores e mediadores da leitura foi um momento bem divertido e revelador, os leitores se surpreendiam ao encontrar o autor da história de alguns livros. 

 
 
Andreia Nunes Cavalcanti explica que o evento ocorrido no dia 26 de abril, de 8h às 16 horas,  na Casa de José de Alencar, equipamento cultural do estado, demarcou a abertura da semana da leitura. Essa ação cultural, que recebeu cerca de 800 crianças da Educação Infantil das escolas públicas de Fortaleza, será replicada em todas as escolas ao longo da semana.
 
 
Depoimento de Andreia Nunes, da Educação Infantil.

Conversa com autores, Ana Paula Sancho, Kelsen Bravos e Amália Simonetti

Acontecimento dos mais importantes, a presença de autores de literatura infantil para conversar com a criançada. Uma oportunidade em que leitores e os criadores das histórias que habitam a biblioteca da escola se encontram, o resultado é brilho no olhar, alegria geral.  Foi caso do encontro com Ana Paula Sancho – além de escritora, excelente mediadora – a contação de história foi a tônica do encontro, o mesmo se deu com a entusiasta da alfabetização infantil  Amália Simonetti.

Kelsen Bravos

Com Kelsen Bravos, o papo foi com livro na mão e leitura, interação e festa. Apresentou os títulos já publicados e foi escolhido um para tematizar o momento do encontro. O livro da vez foi Cruck, crock, creck, crick… CRACK! Que trata de forma delicada o grave problema das drogas com atenção especial ao crack.
A meninada convicta e em festa falou:
Cruck, crock, creck, crick, CRACK… TÔ FORA!

Ana Paula Sancho

Encenando o cangaceiro Lampião, a autora Ana Paula Sancho contou a história do seu livro A tocaia de Lampião e dos seres encantados, escrito no melhor estilo do cordel. Um livro publicado na Coleção Paic – Prosa e Poesia.

 

Amália Simonetti

Uma das que ajudou a constituir o Programa Alfabetização na Idade Certa, a professora Amália Simonetti, que também é autora de literatura para crianças, marcou presença com sua roupa com a árvore de histórias.

As mediadoras da leitura da SME

Na melhor expressão do que eu chamo de Pedagogia do Exemplo, as professoras formadoras da Educação Infantil do PAIC da SME de Fortaleza fizeram o encerramento do Dia D da Leitura na Casa de Jose de Alencar com um mix das histórias clássicas em que enredaram uma série de acontecimentos que atiçaram o estranhamento e a curiosidade da meninada. Foi tudo muito lindo!

Read Full Post »

Senadora Fátima Bezerra destacou que, após aprovado, PNLL deixará de ser projeto de governo e passará a ser política de Estado

A Frente Parlamentar Mista em Defesa do Livro, da Leitura e da Biblioteca, composta por mais de 200 integrantes, entre senadores e deputados federais, retomou seus trabalhos nesta quinta-feira (31), na Câmara dos Deputados, com a promessa de dar prioridade ao projeto de lei que institucionaliza o Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL). Atualmente, a proposta está em análise na Casa Civil da Presidência da República.
 
“Este plano já está pronto e está bom. Ele nasceu de baixo para cima. Foi amplamente debatido e discutido com aqueles que militam na área da cultura e da educação”, afirmou a senadora Fátima Bezerra (PT-RN), que coordena a Frente juntamente com o deputado José Stédile (PSB-RS). Segundo ela, com a aprovação do PNLL, a ação deixa de ser de governo e passa a ser de Estado. “Precisamos avançar cada vez mais nessas ações que dão segurança jurídica a áreas tão essenciais”, insistiu.
 
Foi consenso entre os integrantes dos poderes executivo e legislativo presentes ao evento que tornar o PNLL uma política de Estado garantirá que haja metas, políticas e programas permanentes de fomento à leitura, não permitindo que as ações para o setor fiquem à mercê de mudanças de governo.
 
Outra prioridade apontada pela senadora foi a aprovação do projeto de lei que institui a Política Nacional de Bibliotecas, relatado por ela. O projeto prevê, entre outras questões, a garantia de construção, preservação e difusão pluralista de culturas, saberes e igualdade de acesso às bibliotecas.
 
Além de parlamentares e profissionais da área de educação e biblioteconomia, participaram da ação integrantes do Conselho Federal de Biblioteconomia (CFB) e dos conselhos regionais da categoria.
 
Ações do MinC
Represente do MinC na reunião, Volnei Canônica, diretor de Livro, Leitura, Literatura e Biblioteca, explicou o trabalho realizado pelo Ministério em conjunto com a Frente para que outros importantes marcos legais de incentivo e fortalecimento para a área de livro e leitura sejam aprovados, como o do preço fixo para livros e a criação de um fundo de apoio a produção, edição, distribuição e comercialização de livros, o Fundo Pró-Leitura.
 
Fonte: http://culturadigital.br/mincnordeste/2016/04/01/plano-nacional-do-livro-e-leitura-e-prioridade/ em 31.03.2016 – 15:50

Read Full Post »

Com uma programação de acesso gratuito plena em contação de histórias, lançamentos de livros, oficinas, palestras e muito mais, a I Feira do Livro de Crateús – FLIC, que homenageia o poeta Bento Raimundo Dias, demarca o calendário cultural brasileiro da promoção do livro, da leitura, Literatura e das artes em geral. A FLIC congrega artistas do Distrito Federal, Fortaleza, Tauá e Crateús numa enriquecedora troca de saberes e fazeres entre artistas, estudantes e o público em geral. Confira:

Convite Flic.cdr

I Feira de Livros de Crateús – FLIC

Homenageado: Bento Raimundo

Dias 18 a 21 de novembro de 2015

Local: Praça Gentil Cardoso

09:00 às 22:00h

Programação

Dia 18/11/2015 – Organização Geral da I FLIC

Dia 19/11/2015

19:00 às 22:00

Palco

Voz e Violão – Ernesto Teixeira

Cerimônia de Abertura da I FLIC

Show com Dideus Sales e Toni Moraes

Dia 20/11/2015

09:00 às 12:00

Palco

Dança: Uz Inovadores/Black Citi (09:30 às 10:00)

Recital: Paulo de Tarso (10:00 às 10:30)

Circo: Palhaço Geleia (10:30 às 12:00)

Teatro

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (09:00 às 09:40)

Histórias do Coração com Teddy Williams (10:00 às 10:30)

11:00 às 12:00

Teatro

Leitura dramatizada do Romance do Vaqueiro Voador– João Bosco Bezerra Bonfim

14:00 às 16:00

Palco

Dança: New Dance/Príncipes do Gueto (14:30 às 15:00)

Recital: Paulo de Tarso (15:00 às 15:30)

Circo: Palhaço Geleia (15:30 às 17:00)

Teatro

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (14:00 às 14:40)

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (15:00 às 15:40)

16:00 às 17:00

Teatro

Poesia em voz alta: arte, reflexão e emoção – João Bosco Bezerra Bonfim

19:00 às 20:00

Teatro

Grupo de Flauta CAIC

Debate: Mediação de leitura e letramento literário – João Bosco Bezerra Bonfim e Tino Freitas

19:00 às 22:00

Palco

Roda de Capoeira Raízes do Brasil (19:00 às 19:40)

Palhaço Geleia (19:40 às 20:00)

The Madrugas / Take me Out (20:00 às 22:00)

Dia 21/11/2015

09:00 às 12:00

Palco

Contação de Histórias: Márcio Elias (09:00 às 09:40)

Circo: Impacto Show Cirque (09:40 às 10:20)

Show Quem quer brincar comigo? Com Tino Freitas (10:20 às 11:00)

Lançamento de Livro: João Bosco e Tino Freitas (11:00 às 12:00)

Teatro

Conversa com escritor: Elias de França e Éricson Fabrício (09:00 às 10:00)

Encontro do projeto Ciranda das Coisas do Coração (10:00 às 12:00)

Contadores de Histórias de Hidrolândia-CE

14:00 às 17:00

Teatro

Encontro com Escritores

Recital: Paulo de Tarso e Lucas Evangelista

Lançamento de Livros: Zacarias Bezerra

Palestra: A importância da literatura no contexto atual – Júnior Bonfim

Palco

Contação de Histórias: Márcio Elias (14:00 às 14:40)

Circo: Retalho Show Circus traz a Cia. Circense Harlley Dance (14:40 às 16:00)

Palco: Associação Arte Ceará Capoeira (16:00 às 17:00)

19:00 às 22:00

Cerimônia de Encerramento da I FLIC

Homenagem ao Bento Raimundo

Show com Igor e Edvânio

19, 20 e 21 de novembro

Stands com vendas, troca e exposição de livros!

Participação de editoras e livrarias!

Participe!

Traga sua família!

Entrada gratuita!

flic – programação

 

Read Full Post »

O Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), principal órgão colegiado do Ministério da Cultura (MinC) de participação popular para construção de políticas públicas, abre nesta segunda-feira (17) as inscrições para eleitores e candidatos para compor seus Colegiados Setoriais e o Plenário do conselho. O prazo de inscrições se encerra em 26 de setembro.
As inscrições poderão ser feitas por meio da plataforma digital . Por este canal, os interessados poderão se inscrever para votar ou para se candidatar nos seguintes Colegiados: Arquitetura e Urbanismo; Arquivos; Arte Digital; Artes Visuais; Artesanato; Circo; Culturas Afro-Brasileiras; Culturas Populares; Dança; Design; Literatura, Livro e Leitura; Moda; Música; Patrimônio Imaterial; Patrimônio Material; e Teatro.
Os Colegiados Setoriais são instâncias que compõem o CNPC, formadas por 40 integrantes, dos quais 30 são da sociedade civil (15 titulares e 15 suplentes) e 10 do Poder Público (divididos em cinco titulares e cinco suplentes).
Podem fazer parte do processo eleitoral do CNPC pessoas físicas, brasileiras ou estrangeiras naturalizadas com atuação nas áreas técnico-artistas. Os interessados poderão se inscrever na condição de eleitores (maiores de 16 anos) e/ou candidatos (maiores de 18), mediante cadastro na plataforma.
As inscrições também serão aceitas nos encontros presenciais, que serão realizados nas 27 unidades da Federação, no período de 8 a 26 de setembro.  Os encontros favorecerão o debate, a apresentação dos candidatos e contarão com pontos de acesso à plataforma para inscrições e votação.

Votação

O período de votação será de 8 de setembro a 7 de outubro, quando os inscritos poderão votar a distância pela plataforma digital ou nos 27 encontros presenciais. A votação se dará em duas etapas: a estadual e a nacional. Os resultados serão disponibilizados com ampla divulgação nos canais de comunicação do MinC e na plataforma digital do CNPC.
A plataforma possui fóruns de debates organizados por setorial e por unidade da Federação. Cada eleitor inscrito só poderá votar em um candidato de uma área específica de uma unidade da Federação. A etapa estadual elegerá delegados para os Fóruns Setoriais Nacionais.
Para a etapa estadual, será divulgada uma lista com todos os candidatos inscritos, dividido por Setorial e por Unidade da Federação.
No avançar dos debates, o eleitor poderá mudar seu voto uma única vez e trocar de candidato a partir do dia 27 de setembro – uma novidade em relação à eleição passada.
Na segunda etapa, a nacional, os candidatos mais votados nos estados e no Distrito Federal e os 15 integrantes da antiga formação dos Colegiados Setoriais habilitados irão escolher entre si os ocupantes das 30 vagas de representação da sociedade civil.
Números de delegados e cotas
Outra novidade do edital de 2015 é a possibilidade de cada setorial eleger, por Unidade da Federação, de um a três delegados para o Fórum Nacional. O total irá variar conforme o número de participantes inscritos presentes nos Encontros Estaduais. De 3 a 30 inscritos presentes, será eleito um delegado para o Fórum Nacional. De 31 a 99 inscritos presentes, serão dois delegados estaduais e, a partir de 101 inscritos presentes, serão eleitos três delegados para o Fórum Nacional.
Com relação às cotas, vai variar até o número de três vagas. Em casos de unidades da Federação com apenas uma vaga, será eleito o delegado estadual mais votado. Se houver uma segunda vaga, será destinada a uma mulher ou afro-brasileiro mais votado. Caso haja uma terceira vaga, ela será destinada ao próximo mais votado e não contemplado com a segunda vaga.
Resultados
Dentro desse processo eleitoral, estão programados Fóruns Nacionais Setoriais, que serão realizados no Rio de Janeiro (RJ), em Brasília (DF) e em Serra Talhada (PE), nos quais serão concluídas as eleições e divulgados os resultados.
Dúvidas
Para tirar dúvidas sobre o processo, a coordenação do CNPC do Ministério da Cultura oferece uma série de canais. A plataforma digital dispõe de “Fale Conosco” ; a Secretaria de Articulação Institucional (SAI) do MinC também atenderá demandas pelas redes sociais (Facebook e Twitter);  pelo e-mail ; por meio do aplicativo de celular WhatsApp,  número (61) 9241 0630 e para atendimento por telefone por (61) 2024 2186.

Atenção às datas:

Período de inscrições: 17/08/2015 a 26/09/2015.
Período de votação: 8/09/2015 a 7/10/2015.
Encontros setoriais nas 27 unidades da Federação: de 8 a 26/9/2015.  (Calendário dos eventos será divulgado em breve).
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

Read Full Post »

 

participeNo próximo dia 11/09, a partir das 9 horas, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará realiza, no auditório de sua sede, a etapa estadual para escolha dos novos integrantes dos Colegiados Setoriais e do Plenário do ConselhoNacional de Política Cultural (CNPC). O organismo é o principal órgão colegiado do Ministério da Cultura (MinC) de participação popular para construção de políticas públicas.

Os interessados poderão se inscrever para votar ou para se candidatar nos seguintes Colegiados: Arquitetura e Urbanismo; Arquivos; Arte Digital; Artes Visuais; Artesanato; Circo; Culturas Afro-Brasileiras; Culturas Populares; Dança; Design; Literatura, Livro e Leitura; Moda; Música; Patrimônio Imaterial; Patrimônio Material; e Teatro.

Os Colegiados Setoriais são instâncias que compõem o CNPC, formadas por 40 integrantes, dos quais 30 são da sociedade civil (15 titulares e 15 suplentes) e 10 do Poder Público (divididos em cinco titulares e cinco suplentes).

Podem fazer parte do processo eleitoral do CNPC pessoas físicas, brasileiras ou estrangeiras naturalizadas com atuação nas áreas técnico-artísticas. Os interessados poderão se inscrever na condição de eleitores (maiores de 16 anos) e/ou candidatos (maiores de 18). Além da opção durante o processo presencial do próximo dia 11, as inscrições também podem ser feitas pelo link cultura.gov.br/votacultura/. O prazo de inscrições se encerra em 26 de setembro.

Uma das novidades do edital de 2015 é a possibilidade de cada setorial eleger, por Estado, de um a três delegados para o Fórum Nacional. O total irá variar conforme o número de participantes inscritos presentes nos Encontros Estaduais. De 3 a 30 inscritos presentes, será eleito um delegado para o Fórum Nacional. De 31 a 99 inscritos presentes, serão dois delegados estaduais e, a partir de 101 inscritos presentes, serão eleitos três delegados para o Fórum Nacional.

Com relação às cotas, vai variar até o número de três vagas. Em casos de unidades da Federação com apenas uma vaga, será eleito o delegado estadual mais votado. Se houver uma segunda vaga, será destinada a uma mulher ou afro-brasileiro mais votado. Caso haja uma terceira vaga, ela será destinada ao próximo mais votado e não contemplado com a segunda vaga.

 

Etapa Estadual do Processo Eleitoral CNPC Eleições 2015  

9 h – Abertura para votação e inscrição presencial de candidatos

12 h – Término do período de cadastro de candidatos

13 h – Horário de homologação e divulgação de novos candidatos

14 h às 15 h – Roda de conversa e palestra: “Participação Social na Gestão Cultural“. Atividadesculturais locais, votação e atendimento aos colegiados presentes até às 18 horas.

SERVIÇO:

Escolha do novo Conselho Nacional de Política Cultural do Minc

Etapa Ceará

Dia 11/09

Às 9 horas

Auditório da Secult (Rua Major Facundo, nº 500)

 

MAIS INFORMAÇÕES E DÚVIDAS:

Para tirar dúvidas sobre o processo, a coordenação do CNPC do Ministério da Cultura oferece uma série de canais. A plataforma digital dispõe de “Fale Conosco” ; a Secretaria de Articulação Institucional (SAI) do MinC também atenderá demandas pelas redes sociais (Facebook e Twitter);  pelo e-mail ; por meio do aplicativo de celular WhatsApp,  número (61) 9241 0630 e para atendimento por telefone por (61) 2024 2186.

Read Full Post »

Reproduzimos aqui artigo de Graça Ramos publicado no O Globo, em 04.08.2015, às 13h37min.

Réquiem à professora

Graça Ramos
04.08.2015 13h37m

481_441-capaO Brasil perdeu hoje Ligia Cademartori, uma de nossas maiores autoridades em literatura infantojuvenil, autora de inúmeros estudos e livros sobre o tema. Professora-doutora em Teoria Literária, também tradutora de autores clássicos, ela foi uma das responsáveis pela implantação e coordenação do Programa Nacional Salas de leitura, gérmen do Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE). Após batalha curta e intensa contra um câncer, Ligia partiu para o local que “nem o Arquiteto/Pode ser que o comprove”, como diz o verso de sua poeta preferida, Emily Dickinson.

Autora de livros essenciais na área, como “O que é literatura infantil” (Brasiliense, 1986), Ligia, juntamente com Regina Zilberman e Marisa Lajolo formava o trio acadêmico que, a partir dos anos 1980, definiu muitos dos rumos teóricos que sustentam a literatura infantojuvenil brasileira, dando-lhe alicerce para que se tornasse potente e importante. As três estudiosas permanecem referências importantes e atualizadas atesta o recém-veiculado “Dossiê sobre Literatura e Infância”, publicado no número 46 da revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, organizado por Anderson da Mata e Mirian Zappone. São as teóricas brasileiras mais apontadas pelos autores dos ensaios.

Ligia foi professora da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e da Universidade de Brasília (UnB), onde tive a honra de ser sua aluna e o privilégio de por ela ser orientada no Mestrado em Literatura Brasileira. Tempo em que conheci o amalgama de rigor e ternura que a caracterizavam e aprendi muito sobre imagem poética em cursos inesquecíveis. Gaúcha de Santana do Livramento, ela veio para Brasília em 1984 para trabalhar no Ministério da Educação e, posteriormente, na UnB, onde se aposentou. Era casada com o latinista Francisco Balthar e deixou dois filhos, Mario e Tina, que lhe deram dois netos, Demétrio e Carolina.

Nos últimos anos, paralelamente aos ensaios que publicava, dedicou-se à tradução e à adaptação de clássicos para a editora FTD, entre eles, “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, “Dom Quixote”, de Cervantes – uma das mais divertidas e inteligentes adaptações que já li – e “Jardim de versos”, de Robert Louis Stevenson, sobre o qual passou meses buscando a melhor melodia para cada um dos versos em trabalho de ourivesaria rítmica. O esmero com que cuidava das traduções levou-a a ingressar na Lista de Honra do International Board on Books for Young People, sediado na Suíça, pela tradução de Charles Dickens e Wilkie Collins (1991).

Muitas de suas reflexões sobre o mundo da literatura para crianças e jovens podem ser encontradas em “O professor e a literatura – para pequenos, médios e grandes” (Autêntica), em que a partir de cenas da literatura infantil, sua vivência de leitora cultuada coloca-se generosamente a serviço de outros professores. Na modulação de uma conversa, sem marcas de arrogância, mas carregada de grandes doses de conhecimento e também de comentários vivos sobre a atualidade, ela apresenta e discute elementos da literatura infantil clássica e contemporânea, discorre sobre a literatura juvenil, discute questões importantes para a formação de novos leitores e analisa modalidades diferentes da poesia destinada aos mais jovens. O livro ganhou o prêmio Cecília Meireles da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, de melhor livro teórico em 2010.

Fora do âmbito da literatura infantojuvenil, que costumava dizer ser a sua causa e eu brincava que era a sua casa, Ligia dedicava-se ao estudo da psicanálise. Publicou com Américo Vallejo, “Lacan – operadores da leitura” (Perspectiva, 1981), roteiro à moda de dicionário sobre os principais termos utilizados pelo psicanalista francês. E, em uma incursão às artes plásticas, escreveu um dos mais poéticos textos sobre a arte de Athos Bulcão, artista
plástico radicado em Brasília que estabeleceu forte vínculo com a cidade modernista. Foi publicado pela Coleção Brasilienses, da qual fazia parte do conselho editorial.

De perfil discreto, avessa à exposição pública, levei muito tempo para convencê-la a dar a conhecer os poemas que escrevia. “São íntimos”, dizia-me. Final do ano passado, quando ainda não sabia do diagnóstico fatal, ela se autorizou a ser publicada. Lançado há três meses, “O tempo é sempre” recebeu delicada edição de Jorge Viveiros de Castro, da 7Letras, e prefácio de Adalberto Müller, professor da Universidade Federal Fluminense, também ex-aluno. Ofereço-lhes o meu preferido, intitulado “Espera”: “Entre o foi e o virá,/ presa apenas pelos nós,/ a espera é menos promessa/ que vazio, falta, lacuna,/ rasgo no tempo, rasura/ onde acena o imaginário,/ lá da cena originária,/ onde palavra não há”.

Há alguns dias, nos despedimos. Havia muita dor – física e emocional –. Mas conseguimos cantar baixinho “Parabéns pra você” – afinal era dia de aniversário. E ela ainda me lembrou do pequeno poema de Marina Colasanti, endereçado às infâncias: “A morte é onde a vida põe um ponto./ Um ponto/ de partida”. Que permaneçam os efeitos de sua alegria, do seu olhar debochado sobre o pretensioso, do seu amor à literatura para pequenos, médios e grandes.

(Fonte: OGLOBO)

Read Full Post »

cordelO Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN – através da Superintendência do Ceará e o Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular – CNFCP – convidam a todos os cordelistas, xilogravadores, repentistas, folheteiros, editores, pesquisadores e demais interessados a comparecerem ao Teatro José de Alencar no dia 31 de julho (sexta-feira), às 14 horas, para participarem de reunião sobre o registro da Literatura de Cordel e do Repente como Patrimônio Imaterial.

Mural idealizado por Klévisson Viana e Bruno Monteiro (fotos de Klévisson Viana)Mural idealizado por Klévisson Viana e Bruno MonteiroMural idealizado por Klévisson Viana e Bruno Monteiro

Premiado Mural idealizado por Klévisson Viana e Bruno Monteiro. Fotos: Klévisson Viana

 

 

 

 

Read Full Post »

Older Posts »