Ceará busca espaço no mercado editorial nacional

Como fazer o livro produzido no Ceará circular em todo país? A questão envolve vários fatores, mas, antes de tudo é preciso ser visto para ser conhecido pelos distribuidores. Em busca de espaços de divulgação e negociação, editoras cearenses formam comitiva e vão à Bienal do Livro de São Paulo

Para fortalecer o mercado editorial cearense e mostrar a qualidade editorial dessa produção, a Câmara Cearense do Livro e o Fórum de Literatura e Leitura do Ceará resolveram unir 10 editoras cearenses e expor seus acervos na Bienal do Livro de São Paulo. A ideia não é apenas comercializar livros, mas trocar experiências com livreiros, editores, livreiros, entre outros profissionais da cadeia do livro, além dos leitores, e também participar de rodadas de negócios. Antes da Bienal, o grupo participa da 20 ª Convenção Nacional de Livrarias, que acontece de 9 a 11 de agosto.

Quem visitar o estande da Câmara Cearense do Livro, no N 45, vai encontrar um acervo diversificado de cerca de quatro mil títulos, entre livros de arte, infantil e juvenil, cordéis, entre outros.  Com temáticas que abrangem a literatura além dos regionalismos, as obras destacam-se também pelo padrão de qualidade elevado, diferenciais que as tornam uma opção a mais para os leitores.

No espaço, além de lançamentos de várias obras, haverá sorteios de livros e contações de histórias. Participam desta ação conjunta as editoras: Armazém da Cultura, Casa do Conto, Casa da Prosa, Conhecimento Editora, Editora IMEPH, Instituto Vida e Educação, Omni Editora, Premius, Smile Editorial, Terra da Luz, Editorial e Tupynanquim.

Entre os livros que destacam-se pela repercussão nacional e internacional, estão “Walter Benjamin: rumo a uma crítica revolucionária”, do filósofo inglês Terry Eagleton, que teve direitos autorais adquiridos para publicação no Brasil pela Omni Editora. O livro é um estudo e uma homenagem à teoria estética do filósofo alemão Walter Benjamin, um dos mais originais de chamada Escola de Frankfurt. Pela primeira vez uma editora do Ceará celebra um contrato deste tipo para publicação exclusiva, no Brasil, de um livro em língua inglesa.

Outra publicação é “Sobrevivi, posso contar”, da Editora Armazém da Cultura. É uma biografia sobre Maria da Penha, que fez da sua tragédia pessoal uma bandeira de luta pelos direitos da mulher e batalhou durante 20 anos para que fosse feita justiça.  Ela dá nome a lei de número 11.340/06 garante mecanismos de defesa mais abrangentes para mulheres vítimas de violência doméstica.

A Terra da Luz Editorial, conhecida por seus livros de fotografias e por publicar o trabalho de Chico Albuquerque – que registrou a passagem de Orson Welles pelo Ceará – lançará na Bienal do Livro de São Paulo, “Manual do Viajante Solitário” de José Albano, que traz registros dos aspectos das viagens de motocicleta, incluindo roteiros, hospedagem, alimentação, bagagem, conforto e os riscos inerentes a esse tipo de viagem, assim como aspectos emocionais e filosóficos vivenciados pelo viajante solitário sobre duas rodas.

III Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias e III Fórum do PNLL – Plano Nacional do Livro e Leitura

Biblioteca Viva
Bibliotecas, Livros, Leitura e Literatura em pauta!

A construção de um Brasil leitor é um trabalho conjunto que envolve governo e sociedade civil. O Plano Nacional do Livro e Leitura (PNLL) mostra em seu Mapa de Ações a pluralidade de atividades e  intervenções em prol da disseminação do livro e da leitura no país.
Neste contexto, destaca-se o papel preponderante das bibliotecas públicas e comunitárias  no incentivo  e no acesso gratuito à leitura.
Alinhados com o propósito de elevar cada vez mais o número de leitores no Brasil,  o Ministério da Cultura e a Secretaria de Estado da Cultura de São Paulo se unem, novamente, para a realização do “III Seminário Internacional de Bibliotecas Públicas e Comunitárias” e “III Fórum Nacional do Livro e Leitura” que acontecerá no período de 19 a 21 de agosto de 2010, em paralelo à 21ª.  Bienal Internacional do Livro de São Paulo, no Anfiteatro Elis Regina, no Palácio das Convenções do Anhembi, na cidade de São Paulo, SP.
Como ocorrido nas edições anteriores o evento reunirá profissionais e pessoas interessadas  em compartilhar experiências, interagir com novos projetos, integrar-se com novas ações, conhecer novas alternativas de atuação e enfrentar novos desafios.
Contamos com sua presença!

Período do Evento: de 19 a 21 de Agosto
Local: Auditório Elis Regina – Parque Anhembi
Av. Olavo Fontoura, 1.209, Anhembi Parque – Santana – CEP 02012-02
Estrutura do Evento: Debates, palestras, mesas redondas e painéis.

Ministro da Cultura diz que Brasil tem dívida histórica com o livro e a leitura

Brasília – O Brasil tem uma dívida histórica com o livro e a leitura, na avaliação do ministro da Cultura, Juca Ferreira, que afirma que houve um razoável abandono dessa área no país. Ele comparou a realidade brasileira, na qual a tiragem média de um livro é de 5 mil exemplares, com a de Cuba onde cada título tem uma tiragem de 100 mil.

Para o ministro, sem livro e sem leitura não há objetividade na construção de uma sociedade complexa. Ele acredita ainda que é preciso que os alunos sejam treinados a ler. “É preciso que no dia a dia da sala de aula, o livro seja apresentado de forma prazerosa”, defendeu durante solenidade de abertura do 21º Fórum Nacional Mais Livro, Mais Leitura nos Estados e Municípios. O evento tem o objetivo de discutir o acesso ao livro e à leitura.

Continue lendo “Ministro da Cultura diz que Brasil tem dívida histórica com o livro e a leitura”

Pesquisa mostra que os livros perderam espaço nas casas dos brasileiros:

 
Os brasileiros compram menos livros hoje do que na década de 90. O mercado editorial atribui as novas tecnologias, entre outros fatores, a diminuição do faturamento e até do encantamento pela leitura. A proposta da criação de um novo imposto sobre os livros criou um impasse entre o governo e mercado. O dinheiro seria destinado para um fundo com o objetivo de incentivar a leitura do país, só que na prática elevaria o preço do livro. Quando chegasse as estantes das livrarias, o produto já estaria 2,1% mais caro, um acréscimo que pode desestimular a compra de livros. Um estudo mostrou que o imposto provocaria uma queda nas vendas, principalmente, entre os consumidores de baixa renda. Matéria veiculada na Globo News, Jornal das Dez, em 04/09/2009.

Por mais Livro e a Leitura no país – Galeno Amorim

galeno

Galeno Amorim, 45 anos, é jornalista e autor de dez livros, a maioria deles para crianças. Em três deles, foi co-autor: Políticas Públicas do Livro e Leitura (OEI-Editora Unesp, 2006) e Os Desbravadores (Palavra Mágica, 2001), dos quais foi organizador; e Práticas de Cidadania (Editora Contexto, 2004).

Como jornalista, atuou durante mais de 20 anos em veículos como O Estado de S. Paulo, Jornal da Tarde, Rádio Eldorado, revista Afinal, Agência Estado e Rede Globo. Foi professor de Ética no Jornalismo na Universidade de Ribeirão Preto e dirigente do Sindicato dos Jornalistas do Estado de São Paulo.

Presidiu, em 2006, o Comitê Executivo do Centro Regional de Fomento ao Livro na América Latina e no Caribe (Cerlalc), órgão vinculado à Unesco. Em 2005, presidiu o Conselho Diretivo do Ano Ibero-americano da Leitura (Vivaleitura), instituído pelo Cerlalc/Unesco, OEI e governo brasileiro. Foi membro dos conselhos estaduais de Leitura dos estados de São Paulo (2004/2005) e Rio de Janeiro (2006) e secretário de Cultura de Ribeirão Preto – SP (2001/2004).

Continue lendo “Por mais Livro e a Leitura no país – Galeno Amorim”