Feeds:
Posts
Comentários
O Conselho Nacional de Política Cultural (CNPC), principal órgão colegiado do Ministério da Cultura (MinC) de participação popular para construção de políticas públicas, abre nesta segunda-feira (17) as inscrições para eleitores e candidatos para compor seus Colegiados Setoriais e o Plenário do conselho. O prazo de inscrições se encerra em 26 de setembro.
As inscrições poderão ser feitas por meio da plataforma digital . Por este canal, os interessados poderão se inscrever para votar ou para se candidatar nos seguintes Colegiados: Arquitetura e Urbanismo; Arquivos; Arte Digital; Artes Visuais; Artesanato; Circo; Culturas Afro-Brasileiras; Culturas Populares; Dança; Design; Literatura, Livro e Leitura; Moda; Música; Patrimônio Imaterial; Patrimônio Material; e Teatro.
Os Colegiados Setoriais são instâncias que compõem o CNPC, formadas por 40 integrantes, dos quais 30 são da sociedade civil (15 titulares e 15 suplentes) e 10 do Poder Público (divididos em cinco titulares e cinco suplentes).
Podem fazer parte do processo eleitoral do CNPC pessoas físicas, brasileiras ou estrangeiras naturalizadas com atuação nas áreas técnico-artistas. Os interessados poderão se inscrever na condição de eleitores (maiores de 16 anos) e/ou candidatos (maiores de 18), mediante cadastro na plataforma.
As inscrições também serão aceitas nos encontros presenciais, que serão realizados nas 27 unidades da Federação, no período de 8 a 26 de setembro.  Os encontros favorecerão o debate, a apresentação dos candidatos e contarão com pontos de acesso à plataforma para inscrições e votação.

Votação

O período de votação será de 8 de setembro a 7 de outubro, quando os inscritos poderão votar a distância pela plataforma digital ou nos 27 encontros presenciais. A votação se dará em duas etapas: a estadual e a nacional. Os resultados serão disponibilizados com ampla divulgação nos canais de comunicação do MinC e na plataforma digital do CNPC.
A plataforma possui fóruns de debates organizados por setorial e por unidade da Federação. Cada eleitor inscrito só poderá votar em um candidato de uma área específica de uma unidade da Federação. A etapa estadual elegerá delegados para os Fóruns Setoriais Nacionais.
Para a etapa estadual, será divulgada uma lista com todos os candidatos inscritos, dividido por Setorial e por Unidade da Federação.
No avançar dos debates, o eleitor poderá mudar seu voto uma única vez e trocar de candidato a partir do dia 27 de setembro – uma novidade em relação à eleição passada.
Na segunda etapa, a nacional, os candidatos mais votados nos estados e no Distrito Federal e os 15 integrantes da antiga formação dos Colegiados Setoriais habilitados irão escolher entre si os ocupantes das 30 vagas de representação da sociedade civil.
Números de delegados e cotas
Outra novidade do edital de 2015 é a possibilidade de cada setorial eleger, por Unidade da Federação, de um a três delegados para o Fórum Nacional. O total irá variar conforme o número de participantes inscritos presentes nos Encontros Estaduais. De 3 a 30 inscritos presentes, será eleito um delegado para o Fórum Nacional. De 31 a 99 inscritos presentes, serão dois delegados estaduais e, a partir de 101 inscritos presentes, serão eleitos três delegados para o Fórum Nacional.
Com relação às cotas, vai variar até o número de três vagas. Em casos de unidades da Federação com apenas uma vaga, será eleito o delegado estadual mais votado. Se houver uma segunda vaga, será destinada a uma mulher ou afro-brasileiro mais votado. Caso haja uma terceira vaga, ela será destinada ao próximo mais votado e não contemplado com a segunda vaga.
Resultados
Dentro desse processo eleitoral, estão programados Fóruns Nacionais Setoriais, que serão realizados no Rio de Janeiro (RJ), em Brasília (DF) e em Serra Talhada (PE), nos quais serão concluídas as eleições e divulgados os resultados.
Dúvidas
Para tirar dúvidas sobre o processo, a coordenação do CNPC do Ministério da Cultura oferece uma série de canais. A plataforma digital dispõe de “Fale Conosco” ; a Secretaria de Articulação Institucional (SAI) do MinC também atenderá demandas pelas redes sociais (Facebook e Twitter);  pelo e-mail ; por meio do aplicativo de celular WhatsApp,  número (61) 9241 0630 e para atendimento por telefone por (61) 2024 2186.

Atenção às datas:

Período de inscrições: 17/08/2015 a 26/09/2015.
Período de votação: 8/09/2015 a 7/10/2015.
Encontros setoriais nas 27 unidades da Federação: de 8 a 26/9/2015.  (Calendário dos eventos será divulgado em breve).
Assessoria de Comunicação
Ministério da Cultura

 

participeNo próximo dia 11/09, a partir das 9 horas, a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará realiza, no auditório de sua sede, a etapa estadual para escolha dos novos integrantes dos Colegiados Setoriais e do Plenário do ConselhoNacional de Política Cultural (CNPC). O organismo é o principal órgão colegiado do Ministério da Cultura (MinC) de participação popular para construção de políticas públicas.

Os interessados poderão se inscrever para votar ou para se candidatar nos seguintes Colegiados: Arquitetura e Urbanismo; Arquivos; Arte Digital; Artes Visuais; Artesanato; Circo; Culturas Afro-Brasileiras; Culturas Populares; Dança; Design; Literatura, Livro e Leitura; Moda; Música; Patrimônio Imaterial; Patrimônio Material; e Teatro.

Os Colegiados Setoriais são instâncias que compõem o CNPC, formadas por 40 integrantes, dos quais 30 são da sociedade civil (15 titulares e 15 suplentes) e 10 do Poder Público (divididos em cinco titulares e cinco suplentes).

Podem fazer parte do processo eleitoral do CNPC pessoas físicas, brasileiras ou estrangeiras naturalizadas com atuação nas áreas técnico-artísticas. Os interessados poderão se inscrever na condição de eleitores (maiores de 16 anos) e/ou candidatos (maiores de 18). Além da opção durante o processo presencial do próximo dia 11, as inscrições também podem ser feitas pelo link cultura.gov.br/votacultura/. O prazo de inscrições se encerra em 26 de setembro.

Uma das novidades do edital de 2015 é a possibilidade de cada setorial eleger, por Estado, de um a três delegados para o Fórum Nacional. O total irá variar conforme o número de participantes inscritos presentes nos Encontros Estaduais. De 3 a 30 inscritos presentes, será eleito um delegado para o Fórum Nacional. De 31 a 99 inscritos presentes, serão dois delegados estaduais e, a partir de 101 inscritos presentes, serão eleitos três delegados para o Fórum Nacional.

Com relação às cotas, vai variar até o número de três vagas. Em casos de unidades da Federação com apenas uma vaga, será eleito o delegado estadual mais votado. Se houver uma segunda vaga, será destinada a uma mulher ou afro-brasileiro mais votado. Caso haja uma terceira vaga, ela será destinada ao próximo mais votado e não contemplado com a segunda vaga.

 

Etapa Estadual do Processo Eleitoral CNPC Eleições 2015  

9 h – Abertura para votação e inscrição presencial de candidatos

12 h – Término do período de cadastro de candidatos

13 h – Horário de homologação e divulgação de novos candidatos

14 h às 15 h – Roda de conversa e palestra: “Participação Social na Gestão Cultural“. Atividadesculturais locais, votação e atendimento aos colegiados presentes até às 18 horas.

SERVIÇO:

Escolha do novo Conselho Nacional de Política Cultural do Minc

Etapa Ceará

Dia 11/09

Às 9 horas

Auditório da Secult (Rua Major Facundo, nº 500)

 

MAIS INFORMAÇÕES E DÚVIDAS:

Para tirar dúvidas sobre o processo, a coordenação do CNPC do Ministério da Cultura oferece uma série de canais. A plataforma digital dispõe de “Fale Conosco” ; a Secretaria de Articulação Institucional (SAI) do MinC também atenderá demandas pelas redes sociais (Facebook e Twitter);  pelo e-mail ; por meio do aplicativo de celular WhatsApp,  número (61) 9241 0630 e para atendimento por telefone por (61) 2024 2186.

raizes

Reproduzimos aqui artigo de Graça Ramos publicado no O Globo, em 04.08.2015, às 13h37min.

Réquiem à professora

Graça Ramos
04.08.2015 13h37m

481_441-capaO Brasil perdeu hoje Ligia Cademartori, uma de nossas maiores autoridades em literatura infantojuvenil, autora de inúmeros estudos e livros sobre o tema. Professora-doutora em Teoria Literária, também tradutora de autores clássicos, ela foi uma das responsáveis pela implantação e coordenação do Programa Nacional Salas de leitura, gérmen do Programa Nacional Biblioteca na Escola (PNBE). Após batalha curta e intensa contra um câncer, Ligia partiu para o local que “nem o Arquiteto/Pode ser que o comprove”, como diz o verso de sua poeta preferida, Emily Dickinson.

Autora de livros essenciais na área, como “O que é literatura infantil” (Brasiliense, 1986), Ligia, juntamente com Regina Zilberman e Marisa Lajolo formava o trio acadêmico que, a partir dos anos 1980, definiu muitos dos rumos teóricos que sustentam a literatura infantojuvenil brasileira, dando-lhe alicerce para que se tornasse potente e importante. As três estudiosas permanecem referências importantes e atualizadas atesta o recém-veiculado “Dossiê sobre Literatura e Infância”, publicado no número 46 da revista Estudos de Literatura Brasileira Contemporânea, organizado por Anderson da Mata e Mirian Zappone. São as teóricas brasileiras mais apontadas pelos autores dos ensaios.

Ligia foi professora da Universidade de Caxias do Sul (UCS) e da Universidade de Brasília (UnB), onde tive a honra de ser sua aluna e o privilégio de por ela ser orientada no Mestrado em Literatura Brasileira. Tempo em que conheci o amalgama de rigor e ternura que a caracterizavam e aprendi muito sobre imagem poética em cursos inesquecíveis. Gaúcha de Santana do Livramento, ela veio para Brasília em 1984 para trabalhar no Ministério da Educação e, posteriormente, na UnB, onde se aposentou. Era casada com o latinista Francisco Balthar e deixou dois filhos, Mario e Tina, que lhe deram dois netos, Demétrio e Carolina.

Nos últimos anos, paralelamente aos ensaios que publicava, dedicou-se à tradução e à adaptação de clássicos para a editora FTD, entre eles, “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll, “Dom Quixote”, de Cervantes – uma das mais divertidas e inteligentes adaptações que já li – e “Jardim de versos”, de Robert Louis Stevenson, sobre o qual passou meses buscando a melhor melodia para cada um dos versos em trabalho de ourivesaria rítmica. O esmero com que cuidava das traduções levou-a a ingressar na Lista de Honra do International Board on Books for Young People, sediado na Suíça, pela tradução de Charles Dickens e Wilkie Collins (1991).

Muitas de suas reflexões sobre o mundo da literatura para crianças e jovens podem ser encontradas em “O professor e a literatura – para pequenos, médios e grandes” (Autêntica), em que a partir de cenas da literatura infantil, sua vivência de leitora cultuada coloca-se generosamente a serviço de outros professores. Na modulação de uma conversa, sem marcas de arrogância, mas carregada de grandes doses de conhecimento e também de comentários vivos sobre a atualidade, ela apresenta e discute elementos da literatura infantil clássica e contemporânea, discorre sobre a literatura juvenil, discute questões importantes para a formação de novos leitores e analisa modalidades diferentes da poesia destinada aos mais jovens. O livro ganhou o prêmio Cecília Meireles da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, de melhor livro teórico em 2010.

Fora do âmbito da literatura infantojuvenil, que costumava dizer ser a sua causa e eu brincava que era a sua casa, Ligia dedicava-se ao estudo da psicanálise. Publicou com Américo Vallejo, “Lacan – operadores da leitura” (Perspectiva, 1981), roteiro à moda de dicionário sobre os principais termos utilizados pelo psicanalista francês. E, em uma incursão às artes plásticas, escreveu um dos mais poéticos textos sobre a arte de Athos Bulcão, artista
plástico radicado em Brasília que estabeleceu forte vínculo com a cidade modernista. Foi publicado pela Coleção Brasilienses, da qual fazia parte do conselho editorial.

De perfil discreto, avessa à exposição pública, levei muito tempo para convencê-la a dar a conhecer os poemas que escrevia. “São íntimos”, dizia-me. Final do ano passado, quando ainda não sabia do diagnóstico fatal, ela se autorizou a ser publicada. Lançado há três meses, “O tempo é sempre” recebeu delicada edição de Jorge Viveiros de Castro, da 7Letras, e prefácio de Adalberto Müller, professor da Universidade Federal Fluminense, também ex-aluno. Ofereço-lhes o meu preferido, intitulado “Espera”: “Entre o foi e o virá,/ presa apenas pelos nós,/ a espera é menos promessa/ que vazio, falta, lacuna,/ rasgo no tempo, rasura/ onde acena o imaginário,/ lá da cena originária,/ onde palavra não há”.

Há alguns dias, nos despedimos. Havia muita dor – física e emocional –. Mas conseguimos cantar baixinho “Parabéns pra você” – afinal era dia de aniversário. E ela ainda me lembrou do pequeno poema de Marina Colasanti, endereçado às infâncias: “A morte é onde a vida põe um ponto./ Um ponto/ de partida”. Que permaneçam os efeitos de sua alegria, do seu olhar debochado sobre o pretensioso, do seu amor à literatura para pequenos, médios e grandes.

(Fonte: OGLOBO)

cordelO Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional – IPHAN – através da Superintendência do Ceará e o Centro Nacional de Folclore e Cultura Popular – CNFCP – convidam a todos os cordelistas, xilogravadores, repentistas, folheteiros, editores, pesquisadores e demais interessados a comparecerem ao Teatro José de Alencar no dia 31 de julho (sexta-feira), às 14 horas, para participarem de reunião sobre o registro da Literatura de Cordel e do Repente como Patrimônio Imaterial.

Mural idealizado por Klévisson Viana e Bruno Monteiro (fotos de Klévisson Viana)Mural idealizado por Klévisson Viana e Bruno MonteiroMural idealizado por Klévisson Viana e Bruno Monteiro

Premiado Mural idealizado por Klévisson Viana e Bruno Monteiro. Fotos: Klévisson Viana

 

 

 

 

cleu-kel

CARAVANACULT

Em parceria com a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará (Secult), a Fundação Nacional das Artes (Funarte) realiza na próxima terça-feira, dia 21, em Fortaleza, o primeiro encontro da Caravana das Artes no País. A ação envolve uma série de debates que o Ministério da Cultura (MinC) e a Funarte farão nas 27 unidades da Federação, com o objetivo de coletar contribuições da sociedade civil para a construção da Política Nacional das Artes (PNA). Na Capital, serão realizados ao longo dia encontros específicos para levantar e debater propostas de políticas públicas para as artes visuais, dança, circo, literatura, música e teatro.

A abertura do evento será às 10h, no Teatro Dragão do Mar. A solenidade de abertura contará com a presença do presidente da Funarte, Francisco Bosco, do diretor do Centro de Artes Cênicas da Funarte, Leonardo Lessa, de representantes das secretarias estadual e municipal de Cultura e de outras autoridades locais. O artista plástico Yuri Firmeza foi convidado para fazer uma palestra sobre os desafios da política para as artes contemporâneas.

Francisco Bosco explicará como está sendo desenvolvido o processo participativo da elaboração da PNA, que parte dos estudos e discussões realizados nos últimos 10 anos pelos Colegiados Setoriais, formados por técnicos do Ministério da Cultura (MinC) e representantes da sociedade civil. A PNA deverá se constituir em um conjunto de políticas atualizadas, fundamentadas e duradouras para as artes no País.

No período da tarde, das 14 às 18h, serão realizadas seis reuniões separadas com artistas e produtores culturais, para debater propostas para as seis linguagens artísticas. As discussões serão conduzidas por um grupo de articuladores escolhidos pelo MinC pela competência e atuação profissional na articulação e no debate político no campo de suas respectivas linguagens. São eles:  Cacá Machado (música), Jacqueline Medeiros (artes visuais), Júnior Perim (Circo), Marcelo Bones (Teatro), Rui Moreira (Dança) e Sérgio Cohn (Literatura).

“Cada articulador do PNA será responsável por coordenar os encontros, as rodas de conversa que vão discutir, a partir dos planos setoriais de cada área, as propostas e necessidades das artes contemporâneas”, informou a articuladora Jacqueline Medeiros, que atua e conhece o cenário cultural cearense.

Nas próximas edições da Caravana das Artes, além dois seis articuladores escolhidos pelo MinC, também estarão presentes seis consultores, que estão sendo selecionados por meio de edital da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco). Em função do grande número de inscritos, a seleção dos consultores ainda está em processo.

Além das caravanas, a participação da sociedade civil se dará ainda nas contribuições via internet na plataforma www.culturadigital.br/pna, nos encontros setoriais e nos seminários temáticos que farão parte da construção da Política Nacional das Artes.

Seminário “Participação Social 
na Gestão Cultural” com Vinicius Wu

Além da Caravana das Artes da Funarte, também no dia 21 acontecerá o “Seminário Participação Social na Gestão Cultural”, da SAI/MinC, das 18h às 21h, com a presença de Vinicius Wu, Secretário de Articulação Institucional do Ministério da Cultura. Será apresentado a proposta e o calendário do processo Eleitoral do CNPC, para renovação dos Colegiados Setoriais e representantes da Sociedade Civil das áreas técnico-artísticas e do Patrimônio Cultural no Conselho Nacional de Política Cultural – CNPC, para o período de 2015 a 2017, por meio dos Fóruns Nacionais Setoriais, que serão realizados de maneira descentralizada e presencial. O Seminário ocorre no Teatro Carlos Câmara, logo após o fim das atividades da Caravana da Funarte.

SERVIÇO:

Caravana das Artes no Ceará 

Abertura:10h

Local: Teatro do Centro Dragão do Mar

Reuniões para debater propostas para as linguagens artísticas – 14h às 18h 

Literatura (http://www.cultura.gov.br/pnll)
Local: Espaço Estação, na Biblioteca Pública Governador Menezes Pimentel (Rua 24 de Maio, 60, Centro)
Mais informações com Mileide Flores (
Coordenadora de Políticas de Livro, Leitura, Literatura e Bibliotecas/SECULT-CE – email: mileide.secult@gmail.com – Fone 1: 55.85 3101 6794 – Fone 2: 55.85 97673277 -Facebook: facebook.com.br/mileideflores – skype: mileide.flores1)

Artes Visuais

Local: Cento Cultural Banco do Nordeste (Rua Conde D’eu, 560, Centro)

Circo

Local: Casa Juvenal Galeno (na Rua Gen. Sampaio, 1128)

Dança

Local: Vila das Artes (Rua 24 de Maio, 1221, Centro)

Música

Local:  Museu da Indústria (Rua Dr. João Moreira, 143 – Centro)

Teatro

Local: Teatro Carlos Câmara (Rua Senador Pompeu, 454 – Centro)

Seminário Participação Social na Gestão Cultural

Das 18 às 21 horas

Local: Teatro Carlos Câmara (Rua Senador Pompeu, 454 – Centro)

Fonte: MinC