Ex-secretário Nacional de Cidadania Cultural do Ministério da Cultura (MinC), Célio Turino, esteve na quinta-feira (15) em Bauru para difundir as propostas de sua candidatura para deputado federal pelo PCdoB. Ele defende a transformação do programa chamado de Pontos de Cultura em política pública de Estado.
“No Brasil, temos 8 milhões de pessoas envolvidas nos Pontos de Cultura. Temos projetos funcionando em aldeias indígenas, favelas, assentamentos rurais”, salienta Turino. “A cultura tem interface com a educação. Uma das propostas é estender os Pontos Culturais em escolas públicas, com um custo de 5 mil reais mensais”, projeta.

Segundo o candidato a deputado, o maior empecilho para que as políticas culturais virem políticas de Estado seria o comportamento social contemporâneo, que alimenta uma postura individualista.

“O imediatismo, o comportamento hedonista e egoísta gerado pelo neoliberalismo distancia as pessoas de práticas culturais. Precisamos restabelecer o sentido da utopia. Quanto mais imediato é o nosso horizonte, menos nos desenvolvemos, menos avançamos. E o desenvolvimento cultural depende de um comportamento mais reflexivo”, aborda.

Para o trabalho, o candidato diz que inc entivará práticas de economia solidária e cooperativa, principalmente na área ambiental e de consumo. “Com trabalho cooperativo, comércio justo e consumo consciente, o próprio desenvolvimento das cidades se dará de outra forma”, sublinha.

No Brasil, são 3 mil Pontos de Cultura, sendo 500 deles no Estado de São Paulo, tendo como maior público a juventude. “O significado disso é o estabelecimento de uma rede de Pontos de Cultura nas cidades a partir da gestão da prefeitura. A essência do programa é juntar a diversidade, quanto mais diversidade melhor. Então cabe um grupo de música erudita, de teatro amador, de cultura popular, de hip hop, ações sócio educativas em bairros. É ideia é ter de tudo”, explica.

Em Bauru, 10 pontos culturais foram disponibilizados por meio do convênio com o MinC.

Para participar da ação, foi lançado edital em março deste ano. Puderam disputar pessoas jurídicas de direito privado s em fins lucrativos.

De acordo com a Secretaria Municipal da Cultura, a seleção das entidades já foi realizada e está em fase de cadastramento de documentação.

O convênio, assinado em outubro na cidade, disponibilizará R$ 900 mil em recursos, com igual contrapartida do município – o que totaliza o montante de R$ 1,8 milhão.

Cada Ponto de Cultura receberá o montante de R$ 180 mil, dividido igualmente durante o período de três anos.

Fonte: Jornal da Cidade/Bauru

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s