A Regional Nordeste reuniu-se virtualmente para debater o Plano Nacional do Livro e Leitura. A discussão está posta para a II Conferência Nacional de Cultura

Educadores, livreiros, contadores de estórias, escritores, editores, gestores da cultura. Um público heterogêneo mas, de pensamento comum: ver garantida e institucionalizada as políticas públicas para o Livro, Leitura e Literaturano Brasil.  Foram estes atores que deram voz e sugestões durante a Videoconferência e Assembléia Setorial, realizada na última segunda-feira, (25), no Auditório do BNB, do Passaré.

O Diretor do Livro, Leitura e Literatura, Fabiano dos Santos Piúba, diretamente de Fortaleza, apresentou via Videoconferência, as ações do Ministério,o planejamento e as diretrizes. “Ao contrário dos outros setores da cultura, já estamos mais avançados, pois temos um Plano Nacional já em processo de avaliação”, ressaltou. Ele apresentou as ações de cada eixo — Democratização do Acesso, Fomento à Leitura e Formação de Mediadores, Valorização da Leitura e Comunicação e Apoio a Economia do Livro — sendo que a questão da acessibilidade foi a mais fortalecida através de projetos.

Sete estados nordestinos participaram da Videoconferência pela manhã e tiraram as dúvidas sobre o Plano e a Conferência. À tarde, a programação foi um momento de reflexão e elaboração de estratégias e proposições baseadas nos eixos temáticos da Conferência Nacional de Cultura.

Foram eleitos 3 delegados da sociedade civil, em Fortaleza: Na Cadeia Produtiva, Mileide Flores é a delegada e Francílio Dourado, o suplente; já na Cadeia Criativa, Almir Mota ficou como Delegado e Luiza Helena Amorim na suplência; para a Cadeia Mediadora, Kelsen Bravos foi eleito delegado e Silvia Maria de Paiva, suplente.

 Novidades .  Fabiano dos Santos anunciou algumas novidades como a questão da compra dos acervos para as bibliotecas, que atendendo a muitas reivindicações agora destina 50% para aquisição de obras de escritores locais. As Bolsas para escritores oferecidas pela Fundação Biblioteca Nacional/ Funarte deverão ser ampliadas para além da Criação Literária, elas passam a  contemplar também a Difusão da Obra e o Intercâmbio. Até o final do ano, outros 780 Pontos de Leitura deverão ser formados, totalizando 1.200. Até março o edital deverá ser lançado.

O Diretor do Livro, Leitura e Literatura no Minc, ressaltou ainda a importância dos estados organizarem seus orçamentos para investir mais na cultura. Os municípios que investirem em ações como implantação do Fundo de Cultura e Conselho de Cultura receberão mais recursos. “ O Minc tem evitado editais nacionais, para chamar a atenção dos estados. Eles também precisam investir”, alerta Fabiano dos Santos. Novos editais serão lançados como o de incentivo para programações culturais em livrarias.

 Clique aqui para ler as proposições elaboradas na Assembleia do Ceará

Anúncios

Um comentário em “Em Busca da Institucionalização

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s